História da causa de canonização

29 de setembro 1954 morre Pe. Luiz Monza

30 de novembro 1985 O Grupo dos amigos da Associação A Nossa Família e o Postulador Pe. Luiz Serenthà se tornam promotores da petição pela Causa de Canonização em Cúria da Arquidiocese de Milão.

23 de junho de 1987 è emetido o decreto da Congregação pelas causas dos Santos ao Cardeal Arcebispo de Milão Carlo Maria Martini para a permissão da abertura da Causa de Canonização sobre Pe. Luiz Monza. Postulador è Padre Luiz Mezzadri C.M. que sucede ao predecessor falecido no ano 1986.

Durante este tempo Pe. Luiz Monza recebeu o título de “Servo de Deus”
30 de setembro de 1987 è emitida pelo Cardeal Carlo Maria Martini o decreto pela nomeação do Tribunal Eclesiástico.

3 de outubro de 1987 Mons. Renato Corti, Vigário Geral da Diocese de Milão, comunica oficialmente à Diocese a abertura do Processo.

24 de novembro de 1987 O Cardeal Carlo Maria Martini abre solenemente o Processo Diocesano São instituídos três processos para pesquisar os escritos de Pe. Luiz, para recolher notícias sobre a heroicidade das virtudes e sobre os miráculos e acertado que nunca lhe foi prestado culto.
Foram também interrogados 69 testemunhas, 8 dos quais ex-ofício.

23 de fevereiro de 1991 se conclui na sede diocesana o Processo de Canonização à presença do Cardeal Carlo Maria Martini.

Entre o 1991 e o 1997 neste tempo se trabalhava para elaborar a “Positio super vita, virtutibus et fama sanctitatis”, um tomo de cerca 700 páginas que contem uma biografia do Servo de Deus, a “informatio”, ou seja um estudo que demonstra com argumentos convincentes que o Servo de Deus praticou de forma heróica as virtudes cristã, uma seleção de escritos, um estudo sobre a espiritualidade, sobre o Instituto Secular fundado por Pe. Monza e sobre a fama de santidade do Servo de Deus.

22 de junho de 1997 “A Positio super vita, virtutibus et fama santitatis” è entregue à Congregação pelas Causas dos Santos. O tomo foi realizado sob a supervisão de Dom J. I. Gutierrez, supervisor da Causa.

20 de junho de 2003  A “Positio” è examinada por uma Comissão de nove teólogos que dão o parecer positivo. Também a Comissão composta de Bispos e Cardeais, que se reúne o dia 2 de dezembro de 2003, exprime-se positivamente.

20 de dezembro de 2003 O Santo Padre João Paulo II assina e emite o decreto que declara Venerável o Servo de Deus Pe. Luiz Monza.
No entanto se procede com a apresentação à Congregação pelas Causas dos Santos de um milagre na pessoa de Paulo Peroni acontecido a Heidelberg no ano 1959-1960.

26 de novembro de 2004 è apresentada a Positio super miro. A positio vem examinada por uma Comissão de médicos que exprimem parecer favorável. O mesmo parecer foi exprimido pela Comissão dos teólogos e mesmo juízo è exprimido pena mesma comissão dos Cardeais e dos Bispos.

19 de dezembro de 2005 O Santo Padre Bento XVI entrega o decreto sobre o milagre atribuído à intercessão do Venerável Servo de Deus Pe. Luiz Monza, ao Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, José Saraiva Martins.

30 de abril de 2006 em Milão o Venerável Servo de deus Pe. Luiz Monza è proclamado Bem-aventurado

Dezembro de 2006 Papa Bento XVI promulga o “breve Apostólico” ou seja o Ato oficial da Beatificação, texto manuscrito em pergaminho com selo papal. É um importante documento que da ratificação de forma oficial na Igreja a causa da beatificação de Pe. Luiz Monza.