Seis perguntas para cohecer o Bem Aventurado Luiz Monza

1. Quem é o Bem Aventurado Luiz Monza

Luiz Monza nasceu em Cislago (Varese) Itália, em 22 de junho de 1898, de uma família que trabalhava na lavoura. A sua maior riqueza eram o trabalho, a corágem e a fé. Pe. Luiz entrou no seminário aos 18 anos, depois de conhecer a dificuldade muito dura de quem trabalha na lavoura; para dar continuidade aos estudos usava boa parte da noite, pois a vida era dura para todos naquela época.
Foi ordenado sacerdote no dia 19 de setembro de 1925. Depois de ordenado seu primeiro trabalho pastoral foi a missão junto à juventude na paroquia de Vedano Olona (Varese). O inicio de sua vida sacerdotal foi marcado por diversas provações, atè ao ponto de injustamente passar varios meses na prisao sob o comando do regime fascista.
No ano de 1929 foi designado ao Santuario de Saronno para animar varias iniciativas. Teve um olhar apurado, assim como o olhar de Deus, aprendeu a olhar longe, a olhar o mundo inteiro, um mundo marcado pela solidão, pela tristeza, e pelo egoismo, no entanto este mundo desejava retornar ao amor de Deus. Pe Luiz sentia uma grande intuição mas precisava que Deus lhe indicasse o caminho a seguir. Em particular ele sentia esta intuição perante o mundo que se “tornava pagão”, como era natural para ele dizer, de viver na caridade dos primeiros cristãos, um meio mais verdadeiro para estar perto do homem contemporãneo, para poder anunciar o Evangelho de Cristo. Em 1936 foi nomeado pároco a San Givanni de Lecco, onde foi sacerdote segundo o coração de Deus”. No ano de 1937 encontrou o caminho que Deus lhe indicava. Do coração de padre, nasce o Instituto Secular das Pequenas Apostolas da caridade, chamado por dom do Estpírito Santo, de tazer ao mundo a plenitude da vida consagrada ao amor total de Cristo com o fervor apostólico da primeira comunidade cristã.
Em 29 de setembro de 1954 pe. Luiz, nos deixou silenciosamente, como um grão de trigo que morre para dar vita à espiga; tinha consiência de ter deixado a comunidade as coordenadas, para partir, e para chegar, um caminho ascendente que leva a Deus. O resto veria depois.
Em 30 de abril do 2006 na Catedral de Milão Pe Luiz Monza è proclamado bem-aventurado.

2. Qual é a sua mensagem

A mensagem do Bem Aventurado Luiz Monza
Pe. Luiz via nos cristaos em meio a sociedade como uma presença viva capaz di testemunhar o amor a vida cotidiana.
Esta sua profunda intuiçao se fazia mais forte quando testemunhava o processo de scularaizaçao do seu tempo, no qual uma sociedade de valor era substituída por uma sociedade competitiva, que não respeitava o homem por aquilo que era, mas somente pelo prazer de ter e de vencer.
A sua mensagem hoje se faz atual e provoca nos cristãos um não voltar ao paganismo mas partilhar em nome da caridade a vida do homem, “entrando na sociedade moderna com o espirito dos Apostolos para fazer saborear a espiritualidade do Evangelho degustando a alegria de viver como irmãos em Cristo”
A mensagem do Pe. Luiz Monza è para todas as pessoas: homens e mulheres chamados a viverem a propria existencia no hoje, na familia ou na vida de cosagraçao, na propria profissao, e no tempo livre, palavras que acompanham no cotidiano.
O centro dos seus ensinamento è a caridade que impulsiona e te faz responsavel dos irmãos e da comunidade humana, se faz explicio no relacionamento interpessoal significa hoje chegar ao coração da convivencia humana para instaurar um novo modelo de sociedade regulado pela lei do amor.
O ideal è a comunidade dos primeiros cristaos que viviam um sò coraçao e uma sò alma, fazendo da caridade a primeira e irrenunciavel regra de convivencia humana pois este è o meio mais verdadeiro para estar perto do homem contemporaneo e para anunciar o Evangelho de Cristo.
Um relacionamento profundo com Deus e uma intensa experiência de vida e de oração o cristão contra o significado de uma existência, tendo uma vida apaixonada e cheia de esperança.
Pe. Luiz Monza nos convida hoje “Ao mundo moderno moralmente confuso devemos com a nossa vida testemunhar: observem como è bom e maravilhoso viver no amor”.

3. Para quem fala o Bem Aventurado

Se inspiram no carisma do Bem-aventurado Luiz Monza diversos grupos, na experiência que constitui cada um na sua própria origem e particularidade, uma expressão da mesma espiritualidade, estes grupos são como grão de uma mesma espiga, que nasceu do grão evangélico que è a vida de Pe. Luiz, consumida da caridade: Pequenas Apostolas da caridade, Pequenos Apóstolos, padres, criança, jovens, casais, famílias, funcionários da Associação A Nossa Família, viúvas, amigos, voluntários.

4. Que obra ele fundou?

Pe. Luiz Monza, pensou, que pessoas consagradas pudessem viver no mundo, testemunhando a caridade e a alegria de viver como irmãos em Cristo estando no mundo e com as pessoas do próprio tempo. Nasceu assim o Instituto Secular das Pequenas Apostolas da Caridade; com esta forma de viver a consagração, até então não reconhecida pela Igreja mas somente em 1947 è realmente oficializada, Pe. Luiz juntamente com outros fundadores foi um precursor.
Pe. Luiz fundou a “nossa Família” que tem uma espiritualidade, um ideal, um estilo de vida que è aquilo de fazer do mundo uma grande Família, ligada com vínculos de solidariedade e fraternidade.
Todas as pessoas podem fazer parte desta “família” ligada no vinculo de solidariedade e fraternidade, alimentando com o testemunho de vida o fogo da caridade dos primeiros cristãos, aquele fogo que aquece a história de todos os povos, de todos os tempos.
A caridade que se faz mais pobre tem um rosto específico nos serviços que oferece  a “Associação A nossa Família” em favor das pessoas com deficiência. Foi no dia 28 de maio de 1946 que chegaram na casa de Vedano Olona, os primeiros meninos: Vera e Umberto; Pe. Luiz estava ainda vivo.
No ano de 1954 o ministério de Saúde reconhece o primeiro Centro de reabilitação na Itália: que era o Centro “A Nossa Família” que nunca parou de crescer. Hoje a Associação è presente em 8 regiões da Itália e em quatro Países do mundo.
Vale a Pena recordar que para Pe. .Luiz pobres eram aqueles pelos quais se encontravam em qualquer situação de necessidade e que desejavam especificadamente ou implicitamente uma ajuda de caráter espiritual ou material.
Em particular ele se referia a algumas categorias que são aqueles que se encontram no Evangelho: doente, criança, coxos pobres economicamente, pessoas com várias dificuldades.
A Pobreza è uma condição não estática mas dinâmica que varia de acordo com o contexto histórico e social e cultural. Pe. Luiz no percurso de sua existência mostrou como era necessária uma atenção ao contexto contemporâneo para poder reconhecer a pessoa que mais precisa de ajuda segundo o critério de caridade.
Diante da necessidade não julgava e não fazia distinção entre pessoas. Se alguém precisava de ajuda ele agia.
A missão da Nossa Família è a tradução numa linguagem mais atual daquilo que Pe. Luiz ensinou: “respeitar a dignidade e melhorar a qualidade de vida, através de uma especifica intervenção de reabilitação – para as pessoas com deficiência, sobretudo na idade evolutiva. “A Nossa Família” compreende que se faz necessário se responsabilizar não somente das pessoas com dificuldades mas também do sofrimento pessoal e familiar que o acompanha.
A Associação se propõe de dar a sua própria contribuição no desenvolvimento da pesquisa e do conhecimento cientifico no campo da patologia do desenvolvimento e de oferecer percursos de formação às jovens e funcionários que já trabalham no campo da saúde e social.
“A Nossa Família” continua se expandindo e vive a profecia do seu Fundador que disse: “… e a Obra se difundirá até os confins da terra”, quando ainda era uma pequena realidade.

5. Como posso rezar o Bem Aventurado?

Estão a disposição dois subsídios de oração

6. Em que local se encontra sepultado o Bem Aventudado?

O bem aventurado Luiz Monza está sepultado na capela da A Nossa Família em Ponte Lambro (Co) – Italia